AI pede que regime militar de Mianmar abra fronteiras à ajuda

Londres, 7 mai (EFE) - A Anistia Internacional (AI) pediu hoje à Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) que abra suas fronteiras aos voluntários e se assegure de que a ajuda chega às pessoas que precisam, sem discriminação.

EFE |

Em comunicado divulgado desde sua sede em Londres, a AI pediu às autoridades birmanesas que flexibilizem as restrições de vistos e os procedimentos que dificultaram o acesso aos trabalhadores humanitários internacionais nos últimos dias e atrasaram a chegada de uma ajuda que é muito necessária.

Além disso, exigiu à Junta Militar que coopere "de forma estreita" com os esforços internacionais de assistência e estabeleça mecanismos "claros e transparentes" para distribuir a ajuda.

As autoridades birmanesas "deveriam proporcionar a ajuda de acordo com a necessidade", sem discriminação por raça, cor, sexo, idioma, religião, questões políticas ou qualquer outra questão.

Além disso, a organização quer que a Junta Militar birmanesa garanta que os quase 500 mil deslocados pelo ciclone recebam urgentemente ajuda, o que inclui abrigo, comida, água e assistência sanitária. EFE ep/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG