AI pede que Micheletti revogue suspensão de direitos constitucionais

Londres, 29 set (EFE).- A Anistia Internacional (AI) pediu hoje ao presidente de fato de Honduras, Roberto Micheletti, que revogue o decreto pelo qual foram suspensas no sábado as garantias fundamentais e constitucionais no país centro-americano.

EFE |

"Honduras corre o risco de entrar em uma espiral de anarquia, na qual a Polícia e as forças militares atuam sem consideração pelos direitos humanos ou pelo estado de direito", declarou, em comunicado, a responsável da AI para as Américas, Susan Lee.

"Roberto Micheletti deve revogar com urgência o decreto e dar claras instruções às forças de segurança para que respeitem os direitos humanos em todas as circunstâncias e o tempo todo", acrescentou a responsável da AI, organização com sede em Londres.

O Governo de fato de Honduras decretou a suspensão durante 45 dias das garantias constitucionais relacionadas à liberdade pessoal, à liberdade de associação e de reunião, ao direito de circulação e à liberdade de expressão.

Ficou proibida, assim, qualquer reunião pública não autorizada pelas autoridades policiais ou militares, se restringiu a livre circulação com um toque de recolher e se ordenou a detenção de qualquer pessoa que não cumpra o horário estabelecido.

A AI afirmou que os ataques contra os opositores ao Governo de fato pela Polícia e pelo Exército "aumentaram drasticamente desde a publicação do decreto presidencial", e denunciou o fechamento "violento" da "Rádio Globo" e do "Canal 36".

"O fechamento destes dois meios de comunicação ao oferecer um ponto de vista alternativo ao do Governo de fato prejudica o direito dos cidadãos hondurenhos de acesso à informação e também mostra que as autoridades restringem a liberdade de expressão e associação", indicou a Anistia. EFE fpb/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG