Londres, 21 abr (EFE).- A Anistia Internacional (AI) pediu hoje ao presidente eleito do Paraguai, Fernando Lugo, que adote um plano nacional de direitos humanos que aborde os problemas mais graves do país e permita colocar fim às violações e abusos cometidos no passado.

Em comunicado, a organização de defesa dos direitos humanos afirma que Lugo, vencedor nas eleições de 20 de abril, "tem uma oportunidade histórica para terminar com a longa história de graves violações de direitos humanos" no Paraguai.

Em março, a Anistia Internacional entregou uma guia de elaboração desse plano de direitos humanos a todos os candidatos presidenciais.

A vitória do ex-bispo católico nas presidenciais de domingo, que representou a queda do Partido Colorado após seis décadas de poder, representa "uma oportunidade para criar uma nova cultura de respeito e promoção dos direitos humanos", afirma a AI.

Segundo a organização, o plano nacional de direitos deveria dar soluções aos problemas mais urgentes do país, principalmente em relação à impunidade por crimes da ditadura militar, à tortura, à falta de acesso à Justiça, à extrema pobreza e discriminação contra grupos vulneráveis como mulheres e minorias étnicas. EFE jm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.