Pequim, 9 jun (EFE).- A organização Anistia Internacional (AI) pediu a libertação do escritor Liu Xiaobo, considerado um dos idealizadores dos protestos na Praça da Paz Celestial em 1989, que está detido sem acusações há seis meses.

Em comunicado, AI relatou que a Polícia informou ontem à esposa do escritor, Liu Xia, que ele continuava em custódia policial, apesar de não ser acusado de qualquer crime, por razões de "investigação contínua".

Liu, de 53 anos, é professor de filosofia na Universidade de Pequim (onde começaram os protestos) e um dos mais conhecidos ativistas pelos direitos humanos no país asiático.

O dissidente foi detido em 8 de dezembro do ano passado, pouco depois de assinar, junto com outros 302 intelectuais chineses, um documento publicado na Internet que pedia reformas legais, democracia e proteção das liberdades fundamentais na China por ocasião do 60º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. EFE abc/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.