Moscou, 7 abr (EFE).- A Anistia Internacional (AI) pediu às autoridades do Quirguistão para que não usem força excessiva na repressão dos protestos populares contra o Governo que ocorrem na capital, Bishkek, e em outras cidades do país.

"As autoridades têm o direito e a responsabilidade de proteger as vidas e a segurança do público, mas não devem abusar da força. O uso da força é legítimo só quando esta é estritamente necessária e de forma proporcional", declarou o diretor do programa da AI para a Europa e a Ásia Central, Andrea Huber.

O Ministério da Saúde quirguiz confirmou o saldo de 19 mortos e 180 feridos nos violentos confrontos entre Polícia e manifestantes que pediam a renúncia do presidente, Kurmanbek Bakyev, em protesto pela alta dos preços do combustível e da energia.

O opositor Omurbek Tekebayev, ex-presidente do Parlamento do Quirguistão, calculou que há perto de 100 mortos nos distúrbios antigovernamentais na capital.

Os manifestantes ocuparam e saquearam a sede do Parlamento do Quirguistão e incendiaram o edifício da Procuradoria-Geral. EFE jm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.