A organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internaciona (AI) pediu nesta sexta-feira às autoridades da Malásia que não chicoteiem uma modelo muçulmana condenada por beber álcool.

Kartika Sair Dewu Shukarno, 32 anos, foi condenada no mês passado a ser agredida e a pagar uma multa de 5.000 ringgit (1.400 dólares), depois que foi considerada culpada de beber álcool em um clube noturno no estado de Pahang (leste) ano passado.

A pena de seis chicotadas será cumprida na próxima semana, em público, segundo as autoridades para servir de exemplo.

A AI afirmou que as autoridades malaias devem "revogar imediatamente a sentença e acabar com esta prática".

"Dar chicotadas é uma forma cruel, desumana e degradante de castigo e está proibido pelas leis internacionais dos direitos humanos", afirma em um comunicado.

Kartika, que tem dois filhos e vive em Cingapura, será a primeira mulher deste país multicultural a ser chicoteada segundo as leis islâmicas.

jsm/mtp/pa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.