AI exige que Irã revele o número de afegãos condenados à morte no país

Londres, 7 mai (EFE).- A Anistia Internacional (AI) exigiu hoje às autoridades iranianas que esclareçam o número de afegãos que estão no corredor da morte nesse país, além daqueles que estejam sob risco de aplicação da pena máxima.

EFE |

Londres, 7 mai (EFE).- A Anistia Internacional (AI) exigiu hoje às autoridades iranianas que esclareçam o número de afegãos que estão no corredor da morte nesse país, além daqueles que estejam sob risco de aplicação da pena máxima. Em comunicado divulgado a organização expressou a necessidade do Irã revelar esses dados, depois dos relatórios recentes sobre a possível execução de 45 afegãos no Irã durante as últimas semanas. "Neste momento, ninguém sabe certamente quantos foram presos, por que crimes foram condenados e qual é seu destino mais provável. Este sigilo só aumenta o risco de erros judiciais", disse Hassiba Hadj Sahraoui, subdiretor da AI no Oriente Médio e no norte da África. Acredita-se que há mais de quatro mil afegãos nas prisões do Irã, dos quais três mil poderiam estar condenados à morte, a maioria por acusações relacionadas com delitos por tráfico de drogas. Fontes iranianas negaram esse número de execuções e não quiseram confirmar quantos afegãos correm o risco de serem executados. "Estes números são verdadeiramente alarmantes", disse Hadj Sahraoui, que considera que o "Irã deve pôr fim imediatamente a estas execuções e revelar quantos afegãos executou". "Estamos particularmente preocupados com o fato de que existam tantos afegãos nas prisões do Irã condenados por delitos relacionados com drogas e que podem ser condenados à morte", lembrou. Calcula-se que um milhão de refugiados afegãos vivem no Irã depois de mais de três décadas de conflito no Afeganistão que obrigou a sua fuga. EFE clb/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG