AI diz que execução de mexicano no Texas viola legislação internacional

Londres, 6 ago (EFE) - A execução do mexicano José Medellín no estado do Texas, nos Estados Unidos, viola a legislação internacional, ao diminuir a autoridade da Corte Internacional de Justiça (CIJ), que exigia a revisão do caso, afirmou hoje a Anistia Internacional (AI).

EFE |

A organização de defesa dos direitos Humanos, com sede em Londres, ressaltou ainda sua oposição à pena de morte em todos os casos, porque "viola o direito à vida" e, por sua natureza, "constitui um castigo cruel, desumano e degradante".

O mexicano José Ernesto Medellín Rojas, de 33 anos, foi executado na terça-feira após ser condenado à morte em 1994 pelo assassinato de duas adolescentes em Houston (Texas).

O Governo do México enviou hoje uma nota de protesto ao Departamento de Estado americano pela "violação do direito internacional" que representa a execução do réu.

Em comunicado, a Chancelaria mexicana disse que a aplicação da pena foi realizada "em claro desacato" a uma ordem da Corte Internacional de Justiça. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG