AI critica novo envio de armas dos EUA a Israel

Londres, 2 abr (EFE).- A Anistia Internacional (AI) denunciou hoje a chegada a Israel de uma carga de armas procedente dos Estados Unidos e pediu ao presidente americano, Barack Obama, que atue e coloque fim a esses envios de material bélico.

EFE |

Um navio alemão que partiu dos EUA em 20 de dezembro levou até o porto israelense de Ashdod, 40 quilômetros ao norte da Faixa de Gaza, 300 contêineres com armamento.

Em seu comunicado de denúncia, a AI lembra que o navio zarpou apenas uma semana antes do início dos ataques israelenses contra a Faixa de Gaza.

"De uma perspectiva tanto legal quanto moral, o Governo de Obama deveria ter paralisado esse envio de armas, devido as provas de que equipamento militar deste tipo foi usado para cometer crimes de guerra", disse o coordenador internacional da AI para o controle de armas, Brian Wood.

Um porta-voz do Pentágono confirmou à AI que o navio alemão atracou em 22 de março no citado porto israelense, mas precisou que a carga que transportava era munição destinada a um armazém americano na região.

Outra fonte oficial citada pela AI reconheceu que está sendo investigado o uso feito por Israel das armas americanos durante o conflito na Faixa de Gaza para comprovar se cumpriu a legislação vigente, mas, por enquanto, não se sabe suas conclusões.

Os EUA foram o maior fornecedor de armas a Israel entre 2004 e 2008 e oferecem cerca de US$ 30 bilhões em ajuda militar a esse país.

Segundo a AI denuncia em seu comunicado, Obama não parece ter intenção de diminuir a multimilionária ajuda a Israel e revogar, assim, o acordo assinado por dez anos pelo antecessor na Presidência americana, George W. Bush.

A organização também pede que todos os países suspendam os envios de armas tanto a Israel quanto aos grupos armados palestinos para prevenir futuras violações de direitos humanos, como as ocorridas em seus confrontos. EFE otp/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG