Teerã, 30 ago (EFE).- O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, defendeu hoje perante o Parlamento seu novo gabinete, que, segundo ele, foi pensado para reavivar a economia nacional e lutar no exterior contra os arrogantes e a favor dos oprimidos.

Ahmadinejad abriu a sessão para o voto de confiança, que aparece como uma prova da capacidade de manobra do presidente, criticado tanto pela oposição reformista quanto por um amplo setor do conservadorismo moderado.

Entre contínuos murmúrios de muitos dos deputados, o líder pediu o apoio e a confiança da Câmara para poder fazer frente "aos inimigos estrangeiros".

"Nossa política (externa) é dirigida a dar apoio aos povos oprimidos e fazer frente aos arrogantes. O Irã é partidário do diálogo construtivo com todos os países, menos com Israel", acrescentou, em discurso de quase uma hora.

Ahmadinejad apresentou em 19 de agosto um gabinete renovado com homens muito próximos à Guarda Revolucionária e cerca de dez rostos repetidos.

Poucas horas depois, vários deputados de tendência conservadora moderada advertiram que quase um terço dos candidatos às pastas ministeriais pareciam não contar com os méritos exigíveis. EFE jm-msh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.