Ahmadinejad pede processo contra Israel, em reunião com Hamas

Cairo, 16 jan (EFE).- O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pediu hoje em Doha, nos Emirados Árabes, para levar os dirigentes israelenses à Justiça pela ofensiva em Gaza, segundo a rede de televisão Al Jazira, com sede no Catar, durante uma reunião com participação do Hamas.

EFE |

Ahmadinejad, também criticou os EUA e o Reino Unido por "não fazerem nada para deter a agressão israelense (...) por sua obstrução no Conselho de Segurança (da ONU)", em seu discurso em uma cúpula de urgência sobre Gaza, organizada pelo Catar.

"Peço um processo contra os líderes criminosos (israelenses), responsáveis pela morte de gente inocente", declarou o presidente iraniano na cúpula, da qual participava Khaled Meshaal, um dos principais chefes do Hamas, grupo que começou a lançar foguetes contra Israel em 16 de dezembro, 11 dias antes da ofensiva em Gaza e três antes do fim de um cessar-fogo.

Dirigentes de 13 dos 22 Estados-membros da Liga Árabe participam da reunião: Argélia, Líbia, Síria, Somália, Líbano, Sudão, Mauritânia, Iraque, Djibuti, Comores, Catar, Omã e Marrocos.

Ahmadinejad é um dos chefes de Estado de países de fora da Liga que participa de reunião, convocada pelo emir do Catar para unificar uma postura árabe sobre a ofensiva militar em Gaza.

Também, estão presentes os chefes dos grupos palestinos Hamas, Khaled Meshaal; Jihad Islâmica, Ramadan Shalah; e Frente Popular para a Libertação da Palestina-Comando Geral, Ahmad Yibril.

Além disso, Venezuela, Senegal e Turquia mandaram representantes.

A reunião foi apoiada pelos integrantes da "linha dura" da Liga Árabe, entre eles Catar, Síria e Sudão, e a ela se opõem outras nações moderadas, como o Egito, Arábia Saudita e Jordânia, que decidiram não participar. EFE nq/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG