TEERÃ - O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, minimizou nesta quinta-feira a ameaça de novas sanções contra o país por causa de seu programa nuclear, um dia após as principais potências mundiais terem pressionado por uma reunião neste mês para negociações.

Irã compara sanções internacionais a "espada enferrujada"

"Ninguém mais pode impor qualquer sanção contra o Irã", disse o presidente, de acordo com a agência oficial de notícias Irna.

Segundo a agência, Ahmadinejad também afirmou que o Irã "recebe bem todas as questões (para discussão), mas que está mais focado em nosso pacote proposto", em referência ao conjunto de propostas sobre as quais as autoridades iranianas têm discutido por vários meses com as potências mundiais.

A comunidade internacional acusa Teerã de esconder, sob seu programa nuclear civil, outro de caráter militar cujo objetivo seria a aquisição de um arsenal de armas atômicas.

O Irã nega as acusações e insiste em que a única meta de seu esforço nuclear é desenvolver a energia civil, especialmente a geração de eletricidade.

Na sexta-feira passada, a AIEA emitiu um relatório sobre o programa nuclear iraniano no qual ressaltou que constatou uma diminuição do processo de enriquecimento de urânio pela primeira vez em anos, mas advertiu que persistem as dúvidas sobre o objetivo final do esforço militar.

As seis potências que participam das negociações com o Irã são EUA, França, Rússia, Grã-Bretanha, China e Alemanha.

Leia mais sobre Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.