Ahmadinejad incentiva acordo para construir gasoduto com Paquistão e Índia

Islamabad, 28 abr (EFE).- O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, deu incentivo hoje em Islamabad para a construção de um gasoduto com o Paquistão e a Índia, dois países com grave crise energética que, no entanto, ainda não acertaram todos os detalhes técnicos do projeto.

EFE |

Ahmadinejad se reuniu com o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, com quem acertou uma assinatura rápida do acordo de construção, segundo informação dada à imprensa pelo ministro de Assuntos Exteriores paquistanês, Makhdoom Shah Mahmood Qureshi.

O presidente iraniano, o primeiro chefe de Governo a visitar o Paquistão desde a formação do novo Executivo, também se reuniu com o primeiro-ministro, Yousuf Raza Gilani, durante as seis horas que passou no país antes de continuar a viagem pelo Sul da Ásia.

Gilani defendeu uma "rápida materialização" do gasoduto e apresentou a Ahmadinejad as dificuldades energéticas vividas pelo Paquistão, cujos cidadãos sofrem horas de corte de fornecimento de energia elétrica todos os dias.

O presidente iraniano ofereceu 1.100 megawatts de eletricidade para atenuar a atual crise, segundo a agência estatal paquistanesa "APP".

Apesar de parecer que os dois países fecharam um acordo para levarem adiante o projeto do gasoduto, cujo custo estimado é de US$ 7,5 bilhões, ainda falta saber se o Paquistão conseguirá superar suas constantes diferenças com a Índia.

O Paquistão sugeriu também uma mudança de sócio para incluir a China no projeto, com uma linha ao longo da rodovia paquistanesa de Karakoram.

Caso a Índia não queira participar do projeto, "o Paquistão e o Irã continuarão com ele e considerarão a inclusão da China", afirmou hoje um funcionário paquistanês.

Ahmadinejad acredita que o acordo "será finalizado em breve" e deu as "boas-vindas à inclusão da China no projeto", segundo o comunicado oficial do escritório de Gilani.

O gasoduto deve transportar 60 milhões de metros cúbicos de gás iraniano que serão divididos igualmente entre Paquistão e Índia.

Os ministros do Petróleo indiano, Shri Vilas Muttemwar, e paquistanês, Khwaja Asif, se reuniram na última semana para discutirem mais uma vez a estrutura da companhia que administrará o gasoduto, a taxa de transporte e uma "taxa de passagem".

"Fizemos progressos significativos. As duas partes consultarão seus Governos e conseguirão uma pronta conclusão do acordo", afirmou então Asif, que, como Muttemwar, se mostrou confiante de que a construção possa começar no próximo ano.

Tanto a Índia quanto o Paquistão esperam aliviar suas graves carências em energia com o gás iraniano graças a um projeto que, além de ter que superar as diferenças entre os dois países, conta com oposição dos Estados Unidos.

O preço estipulado que o Irã cobrará pelo gás será de US$ 4,93 por milhão de unidades térmicas britânicas (BTUs, na silga em ingês), com o qual consolidará seu papel como fornecedor de energia a seus vizinhos do leste e aumentará seu peso econômico na região.

Por enquanto, já que o que foi assinado é apenas um acordo de comércio preferencial, as trocas entre Irã e Paquistão são tão pequenas que Qureshi disse hoje que acredita que elas atinjam o nível de US$ 1 bilhão anuais em breve.

Ahmadinejad defendeu "explorar até seu autêntico potencial" as relações bilaterais, particularmente as comerciais.

Musharraf, que conversou com Ahmadinejad sobre a situação no Afeganistão, no Iraque e na Palestina, deu ao Irã seu apoio para desenvolver energia nuclear com fins pacíficos e sob controle da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

O presidente iraniano faz a viagem ao Sul da Ásia acompanhado, entre outros, dos ministros de Assuntos Exteriores de seu país, Monouchehr Mottaki, do Comércio, Mir Kazemi, e do vice-presidente, Esfandyar Rahim Mashai'e.

Após deixar Islamabad, Ahmadinejad seguiu para o Sri Lanka, onde já chegou e se reunirá com o chefe de Estado cingalês, Mahinda Rajapaksa, com o objetivo de intensificar as relações bilaterais entre os dois países, informa a agência "Irna". EFE igb/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG