Ahmadinejad e Hillary ficam cara a cara em reunião da ONU

Presidente iraniano discursa nesta segunda-feira, durante abertura das discussões sobre Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP)

Reuters |

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, ficará nesta segunda-feira diante da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, no início de uma reunião da ONU sobre o Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP), que Washington e Teerã se acusam mutuamente de violar.

O programa nuclear do Irã, que o Ocidente suspeita de acobertar o desenvolvimento de armas atômicas, será um dos assuntos mais debatidos nos corredores da conferência de revisão do TNP, que irá durar um mês. Realizado a cada cinco anos, esse evento avalia a adesão ao tratado e os problemas que ele sofre.

AP
Comboio de Mahmoud Ahmadinejad é escoltado pelas ruas de Nova York no último domingo

Diplomatas ocidentais em Nova York preveem que o presidente do Irã irá aproveitar a sessão de abertura para acusar os EUA e seus aliados de usarem a não-proliferação de armas como pretexto para impedir que países em desenvolvimento tenham acesso à tecnologia nuclear pacífica, algo que o TNP permite.

É um argumento que tradicionalmente tem boa acolhida junto aos países em desenvolvimento, que representam a maioria entre os 189 signatários do histórico tratado de 1970.

Mas governos ocidentais dizem que vários países em desenvolvimento e muitos governos árabes temem o programa nuclear iraniano. EUA, Grã-Bretanha, França e Alemanha têm negociado com Rússia e China uma possível quarta rodada de sanções da ONU ao programa nuclear do Irã. Teerã insiste no caráter pacífico das suas atividades.

Ahmadinejad será a autoridade mais graduada a discursar na abertura da conferência, que vai até dia 28. A delegação do Irã na ONU não deu detalhes sobre os planos dele, mas um diplomata do país afirmou que sua participação é "uma demonstração do firme compromisso do Irã com o TNP e com o sucesso da conferência de revisão".

Discurso de Hillary

Hillary deve discursar horas depois de Ahmadinejad. Na semana passada, ela anteviu uma recepção fria ao iraniano em Nova York, e disse ser "incontestável" que o Irã está violando o TNP.

A secretária deve destacar a nova doutrina nuclear assumida pelo governo de Barack Obama, que fez do desarmamento e da não-proliferação nucleares prioridades em seu governo, ao contrário de seu antecessor, George W. Bush, que repudiava promessas de diminuição de arsenais feitas pelos EUA e por quatro outras potências nucleares declaradas em 2000.

De acordo com o TNP, os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - EUA, França, Grã-Bretanha, Rússia e China - puderam manter seu arsenal nuclear, mas se comprometeram em negociar sua eliminação. Estados sem armas nucleares se queixam de que as cinco potências não teriam feito o suficiente para se desarmar.

    Leia tudo sobre: ONUIrãEstados UnidosHillary ClintonAhmadinejadTNP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG