Ahmadinejad e adversário em eleições trocam acusações em debate

Teerã, 3 jun (EFE).- O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e o principal adversário dele nas eleições presidenciais, o pró-reformista Mir Hossein Mousavi, mantiveram hoje um duro debate cheio de acusações mútuas e poucas soluções.

EFE |

Mousavi acusou o presidente ultraconservador de ter imposto uma política externa prejudicial e negligente para o país, que empurrou o Irã à beira do abismo.

"Devemos ser pragmáticos na arena internacional. O extremismo e o aventurismo só conduzem a outras posições extremistas. Sua política externa infligiu danos a nossa nação, como também fez sua política econômica", acusou.

De acordo com o ex-primeiro-ministro, durante os quatro anos no poder, o Governo de Ahmadinejad violou a lei em reiteradas vezes, tentou dividir o povo e destruiu a economia "por não saber conduzir o país".

Com insistentes alusões aos princípios da revolução e às doutrinas do aiatolá Ruhollah Khomeini, o candidato independente denunciou inclusive que Ahmadinejad chegou a evitar as diretrizes do fundador da República Islâmica.

Mousavi afirmou que posições como a que o presidente adotou sobre temas como o Holocausto judeu "prejudicaram o país".

Já Ahmadinejad se defendeu argumentando que, durante os últimos três meses, houve uma espécie de conspiração dos três candidatos rivais para desprestigiar seu Governo.

Sorrindo e munido de documentos, o presidente rebateu todas as acusações e defendeu seu legado, especialmente a maneira como levou o confronto com a comunidade internacional pelo polêmico programa nuclear iraniano.

Ahmadinejad assegurou que a maioria dos problemas do Governo "são herdados" das Administrações anteriores, lideradas pelos ex-presidentes Ali Akbar Hashemi Rafsanjani e Mohamad Khatami.

Mousavi fechou o debate com um plano econômico cujo objetivo seria controlar a inflação e reduzir o desemprego através do fortalecimento da indústria nacional, da proteção dos produtos iranianos e da promoção do investimento privado. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG