TEERÃ - O presidente reeleito do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quinta-feira que o seu próximo governo vai derrubar a arrogância global, sinalizando que adotará uma política dura em relação ao Ocidente.

AP
Ahmadinejad discursa ao público
"A nação iraniana elegeu uma pessoa que eles (os inimigos do Irã) não queriam. A escolha da nação iraniana é o pesadelo deles", declarou o presidente a uma multidão no mais proeminente templo religioso do país, na cidade de Mashdad, nordeste do Irã.

O ataque de Ahmadinejad contra os "inimigos" de Teerã deve frustrar ainda mais os Estados Unidos e os seus aliados, que buscam viabilizar negociações diplomáticas com o Irã sobre o seu programa nuclear.

Os líderes ocidentais haviam criticado a repressão aos protestos que se seguiram às eleições presidenciais de 12 de junho, as quais o candidato derrotado, o moderado Mirhossein Mousavi, classificou como fraude.

Ahmadinejad afirmou que os inimigos do país tentaram estimular a violência no Irã. Declarou que Teerã defendia a "lógica e as negociações", mas que as potências ocidentais insultaram a nação e têm que pedir desculpas.

Líderes iranianos têm o costume de se referir aos Estados Unidos e aos aliados dos norte-americanos como a "arrogância global".

"Assim que o novo governo se estabelecer, com poder e autoridade, dez vezes mais do que antes, ele vai entrar no cenário global e vai derrubar a arrogância global", afirmou o presidente iraniano.

"Eles devem esperar pois uma nova onda de pensamento revolucionário da nação iraniana vem a caminho, e nós não permitiremos que a arrogância tenha uma só noite de bom sono", afirmou Ahmadinejad, de acordo com a transmissora estatal IRIB.

O chefe da agência iraniana de energia atômica, um aliado do ex-presidente Akbar Hashemi Rafsanjani, rival de Ahmadinejad, deixou o posto depois de 12 anos, segundo a imprensa do Irã, que não disse, contudo, se a saída de Gholamreza Aghazadeh tem alguma ligação com as eleições.

E no que pode ser a sua primeira participação em um evento público desde a votação, Mirhossein Mousavi planeja ir nesta sexta-feira em Teerã a orações comandadas por Rafsanjani, clérigo influente que o apoiou nas eleições. A informação foi divulgada pelo site de Mousavi.


Leia mais sobre Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.