Ahmadinejad diz que Irã aguarda mudança política dos EUA

Por Raushan Nurshayeva ASTANA (Reuters) - O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta segunda-feira que saúda os gestos de aproximação feitos por Barack Obama, mas que Teerã está aguardando medidas concretas que substanciem as palavras do presidente norte-americano.

Reuters |

Numa virada na diplomacia dos EUA, Obama disse que deseja melhorar as relações dos EUA com a República Islâmica e ofereceu um novo começo, após décadas de desconfiança. Até agora o Irã respondeu com cautela ao gesto de Obama.

Falando no Cazaquistão durante visita oficial a esse país, Ahmadinejad disse que saúda a proposta de "mudança e transformação", mas deixou claro que Teerã espera que Washington dê o próximo passo.

"Estamos esperando essa mudança", disse Ahmadinejad. "Esperamos que as idéias dele (Obama) sejam baseadas na necessidade de reforma e mudança de políticas. Esperamos que ele consiga efetuar isso."

Os EUA cortaram relações com Teerã durante a crise de 1979-1981, na qual estudantes iranianos ativistas mantiveram dezenas de diplomatas norte-americanos como reféns na embaixada dos EUA durante 444 dias.

O país acusa o Irã de tentar desenvolver armas nucleares e suspeita que o Irã use seu programa nuclear civil para acobertar um programa de armas. Teerã diz que está desenvolvendo apenas energia nuclear pacífica.

Entretanto, diferentemente de seu predecessor, George W. Bush, que descreveu o Irã como parte de um "eixo do mal" que representa riscos à segurança, Obama vem se mostrando disposto a melhorar as relações com Teerã.

Ele também prometeu melhorar as relações com o mundo muçulmano em geral, depois dos ataques de 11 de setembro e das guerras no Iraque e Afeganistão.

Em discurso feito na segunda-feira diante do Parlamento da Turquia, país de maioria muçulmana, Obama disse que os EUA "não estão e nunca estarão em guerra com o Islã".

Ele fez gestos em direção ao Irã já em seu discurso de posse, em janeiro, e no mês passado divulgou uma mensagem de vídeo ao regime e à população do Irã, exortando-os a um novo começo nas relações.

Na época, Aliakbar Javanfekr, um assessor de Ahmadinejad, disse que o Irã aguardava "medidas práticas" por parte dos EUA.

O líder máximo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse que a oferta de relações melhores feita por Obama é "um slogan", mas que Teerã vai responder a qualquer mudança concreta de política.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG