Ahmadinejad afirma que Irã continuará seu programa nuclear

Teerã, 18 set (EFE).- O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou hoje que seu país continuará seu programa de enriquecimento de urânio, apesar do pedido feito por vários países para que o suspenda.

EFE |

"O Irã segue com sua postura do passado", disse Ahmadinejad, em entrevista coletiva nesta capital, de quase três horas de duração e na qual abordou vários temas.

Vários países ocidentais querem que o Irã dê provas de que seu programa de enriquecimento de urânio não tem intenções para desenvolver armamento nuclear, apesar de o Governo de Teerã afirmar que possui apenas fins pacíficos.

O Irã enfrenta a ameaça de novas sanções da comunidade internacional se não suspender o programa de enriquecimento de urânio.

"Sugiro aos líderes dos países ocidentais que revejam essas decisões, porque, tão cedo quanto tomarem ações contra nós, se arrependerão", disse o governante na entrevista coletiva .

Ahmadinejad, que realizou a entrevista coletiva sozinho, disse que o Irã pode buscar a auto-suficiência em matéria tecnológica.

"As sanções não são importantes", disse.

Sobre o último relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Ahmadinejad disse que confirmou o uso pacífico do programa nuclear do Irã.

"Neste relatório, também foi mencionado que o Irã não respondeu às perguntas colocadas pelos Estados Unidos, e isso não é verdade, já que não temos por que responder as perguntas deste país", disse.

Os Estados Unidos enviaram documentos à AIEA sobre aspectos delicados do programa nuclear do Irã. A organização pede que o Irã demonstre prove ser falsa a documentação recebida e requisitada por seus inspetores.

Em seu último relatório, divulgado na segunda-feira passada, a AIEA mostra sua preocupação com a falta de progressos na investigação dos aspectos mais delicados do programa nuclear do Irã.

"A AIEA, infelizmente, não pôde fazer progressos substantivos (no esclarecimento) dos supostos estudos (militares) e outros assuntos-chave, que continuam causando séria preocupação", dizia o documento.

Até agora, os técnicos iranianos instalaram cerca de 3.800 centrífugas para produzir urânio enriquecido. EFE msh/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG