Agricultores argentinos prometem pressão contra impostos

Por Kevin Gray e Hilary Burke BUENOS AIRES (Reuters) - Agricultores argentinos disseram que pressionarão o Congresso nesta semana pela redução de impostos sobre as exportações, após negociações realizadas nesta terça-feira com o governo obterem poucos avanços nas tentativas de romper um impasse político que tem abalado os mercados de grãos.

Reuters |

Os líderes dos quatro maiores grupos agrícolas da Argentina disseram que o governo ainda se recusa e reduzir os impostos de exportação sobre a soja, principal produto agrícola do país. O governo alega que esse tributo é uma fonte-chave de receita num momento de desaceleração econômica global.

Os agricultores decidiram então se voltar ao Congresso, marcando manifestações para a quinta-feira em frente à sede do Legislativo, para fazer um apelo aos parlamentares para que discutam um projeto de lei, de autoria de um legislador da oposição, que reduz a incidência de impostos sobre a soja, o milho e o trigo.

"Veremos se os parlamentares querem representar a população de suas províncias ou se apenas seguirão suas linhas partidárias", disse Eduardo Buzzi, presidente da Federação Agrária Argentina.

O país é um dos maiores fornecedores mundiais de soja, milho, trigo e carnes. Mas uma seca e a queda nos preços das commodities intensificaram os pedidos dos agricultores para que o governo ajude reduzindo impostos.

(Reportagem adicional de Damian Wroclavsky e Lucas Bergman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG