Agressores podem ter sobrevivido após ataques a Mumbai

Por Randall Mikkelsen WASHINGTON (Reuters) - Diversos militantes podem ter sobrevivido aos três dias de ataque a Mumbai, na Índia, que resultaram na morte de 171 pessoas na semana passada, disseram especialistas na quinta-feira.

Reuters |

"Eu acho que há mais. Minhas fontes dizem que havia pelo menos 23 homens armados", disse Farhana Ali, uma ex-analista de contraterrorismo da CIA e especialista em redes militantes. Ali, que visitou a Índia e o Paquistão em novembro antes dos ataques, disse que sua informação tem origem no Paquistão, mas negou-se a identificar a fonte.

"Se isso for verdade, faz pensar por que não vimos mais ataques. Eles estão mentindo?", disse ela. "Eu acho que eles (as autoridades indianas) estão segurando as demais."

Ali falou durante uma exposição a autoridades norte-americanas militares e de contraterrorismo, entre outros. O evento foi patrocinado pela Counterterrorism Foundation, que apóia pesquisas e publicações sobre terrorismo.

Autoridades indianas disseram que dez homens participaram dos ataques em Mumbai. Mas reportagens no início dos incidentes citaram a polícia dizendo que eles eram 25. Um militante foi capturado, outros nove mortos pelas autoridades.

Índia e EUA culparam o Lashkar-e-Taiba (LeT), um grupo baseado no Paquistão e colocado no início do ano pelos norte-americanos em uma lista de organizações terroristas.

Uma autoridade de contraterrorismo dos EUA disse à Reuters: "Existe a possibilidade de que alguns terroristas do LeT ainda estejam por ali? Sim, mas eu tenho que esperar para ver porque a informação ainda não está completa".

David Kilcullen, que trabalhou como um conselheiro sênior de contraterrorismo para o general David Petraeus, dos EUA, e para a secretária de Estado, Condoleezza Rice, disse concordar com a tese de que havia provavelmente mais militantes.

Eles portavam identidades falsas e vestiram roupas ocidentais, além de se barbear, indicando que provavelmente não viam a missão como suicida, disse Kilcullen. "O fato de que eles perderam nove de dez agressores não significa necessariamente que se pretendia que todas aquelas pessoas morressem", disse ele.

"Os indianos disseram que havia dez agressores, com base no fato de que eles capturaram um e mataram nove. Você tem que assumir que há mais ali", afirmou.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG