Agressor de cartunista dinamarquês é indiciado por tentativas de homicídio

O somali de 28 anos que tentou matar Kurt Westegaard, o autor de uma das polêmicas caricaturas de Maomé, foi indiciado neste sábado pela justiça dinamarquesa por duas tentativas de homicídio, sobre o cartunista e um policial, informou uma fonte judicial.

AFP |

"Ele foi indiciado por dupla tentativa de homicídio", declarou à AFP um porta-voz do tribunal de Aarhus (oeste da Dinamarca).

O homem, cuja identidade não foi revelada, negou as acusações, antes que o magistrado decida fechar as portas da sala do tribunal para a imprensa, a pedido do ministério público. Ele foi colocado em detenção provisória por pelo menos quatro semanas, e passará os 14 primeiros dias no isolamento.

O agressor, baleado duas vezes pela polícia dinamarquesa pouco depois de invadir a casa de Westergaard com um machado e uma faca, chegou de maca ao tribunal de Aarhus no início da tarde para ser indiciado formalmente por um juiz.

Ele passou por uma cirurgia ontem à noite no hospital.

O somali, que segundo os serviços de inteligência da polícia dinamarquesa é próximo dos islamitas somalis de Al-Shebab e de responsáveis da Al-Qaeda no leste da África, se recusou a falar no tribunal.

Morador da ilha de Seeland (onde fica Copenhague), ele é acusado de ter invadido a casa do cartunista em Viby, ao sul de Aarhus, com um machado e uma faca, com o objetivo de matá-lo.

Kurt Westergaard, 74 anos, é o autor da caricatura mais polêmica, que mostrava Maomé com um turbante em forma de bomba. Ele fora ameaçado diversas vezes após a publicação de sua charge por um jornal dinamarquês. Em 2006, dois homens foram detidos por planejar seu assassinato.

Onntem à noite, ao notar a chegada do agressor, ele se trancou no banheiro e alertou a polícia.

O somali também foi indiciado por tentar matar um policial arremessando o machado contra ele antes de atacá-lo com a faca. Foi neste momento que ele foi baleado duas vezes, uma em um braço e outra em uma perna.

Foram publicadas no total doze charges do profeta Maomé, a primeira em setembro de 2005, pelo jornal dinamarquês Jyllands-Posten, incluindo o desenho de Westergaard.

Consideradas ofensivas por muitos muçulmanos, as charges deflagraram uma onda de violentas manifestações contra a Dinamarca, especialmente no mundo muçulmano.

map/LR/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG