escrita no rosto , diz pesquisa - Mundo - iG" /

Agressão pode estar escrita no rosto , diz pesquisa

As tendências agressivas de um homem podem ser identificadas nos traços de seu rosto, segundo um estudo realizado por pesquisadores canadenses. A equipe analisou o rosto de 90 jogadores de hóquei no gelo e constatou uma significativa correlação entre as proporções do rosto do jogador e a quantidade de faltas cometidas por ele.

BBC Brasil |

Os resultados foram publicados na revista acadêmica Proceedings of the Royal Society: Biological Sciences.

O formato do rosto foi determinado ao medir a distância entre as ossos acima das bochechas e dividindo essa medida pela distância entre as sobrancelhas e o lábio superior.

Pelo estudo, quanto maior a proporção entre a largura e o comprimento do rosto, mais agressivo o jogador era.

Uma fase anterior do estudo já havia demonstrado uma diferença no formato dos rostos de homens e mulheres, com homens tendo geralmente rostos mais arredondados do que as mulheres.

Essa diferenciação no formato dos rostos de homens e mulheres acontece geralmente na puberdade, segundo os pesquisadores, devido a um aumento dos hormônios sexuais, principalmente a testosterona nos meninos.

"Nós sugerimos que os traços que se tornam evidentes durante a puberdade são resultado de diferentes níveis de testosterona e a testosterona pode ser responsável por determinar a relação entre a largura e o comprimento do rosto", disse Justin Carre, da Brock University, em Ontário.

Por isso, é possível que o nível de testosterona influencie as tendências agressivas, segundo os cientistas.

Os pesquisadores não verificaram a mesma relação entre o formato do rosto e agressividade nas mulheres.

Os pesquisadores afirmam ter escolhido jogadores de hóquei no gelo para a análise porque, segundo eles, há muito comportamento agressivo nesse esporte e esse comportamento é normalmente considerado aceitável.

Os resultados sugerem que o formato do rosto pode ter sido moldado pela evolução como uma marca da propensão à agressão.

O próximo passo será analisar se as pessoas podem julgar, pelo formato do rosto, a personalidade de outros seres humanos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG