Caracas, 31 out (EFE) - Agentes dos serviços de inteligência venezuelanos revistaram hoje em Caracas os escritórios de uma empresa de Franklin Durán, que está sendo julgado em Miami pelo Caso da Mala, informaram hoje veículos de comunicação locais.

Membros da Direção dos Serviços de Inteligência e Prevenção (Disip) e da Direção de Inteligência Militar entraram nos escritórios da firma Mil Importaciones, segundo os veículos de comunicação.

Até agora as autoridades não confirmaram a ação.

A empresa Mil Importaciones, propriedade dos irmãos Pedro e Franklin Durán e localizada em um centro comercial da capital venezuelana, é dedicada à comercialização de produtos lácteos, motocicletas e equipamentos para esportes, segundo a imprensa.

A revista coincide com a espera da sentença do julgamento contra Durán em Miami por ter supostamente atuado como agente especial da Venezuela nos Estados Unidos para convencer o empresário Guido Antonini Wilson a não revelar a origem e destino de US$ 800 mil apreendidos na Argentina em 2007.

Segundo depoimentos ouvidos no julgamento, esse dinheiro que Antonini Wilson levava procedia dos cofres da empresa estatal venezuelana Petróleos de Venezuela S/A e estava destinado à campanha eleitoral da agora presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner. EFE afs/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.