Londres, 13 out (EFE).- Um agente da equipe que participou da operação na qual o brasileiro Jean Charles de Menezes foi assassinado admitiu hoje que alterou provas do caso, e, por isso, será investigado, anunciaram fontes oficiais.

O policial, de alta patente e identificado apenas como "Owen", confessou aos investigadores da morte de Jean Charles que, na semana passada, eliminou uma linha das anotações sobre a operação que tinha em seu computador, informa a agência de notícias "PA".

Um porta-voz da Comissão Independente de Queixas à Polícia (IPCC), citado pela "PA", assegurou que a adulteração "vai ser objeto" de uma investigação independente. EFE ep/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.