Londres, 9 jan (EFE).- A Autoridade para Padrões Publicitários (Asa, em inglês), o organismo de auto-regulação da publicidade no Reino Unido, terá que intervir em uma disputa sobre a existência ou inexistência de Deus, depois de ter recebido 48 queixas de pessoas sobre uma campanha de publicidade atéia nos ônibus britânicos.

Oitocentos ônibus estão com a mensagem: "Provavelmente, Deus não existe. Portanto, pare de se preocupar e aproveite a vida".

Stephen Green, um militante cristão que liderou os protestos contra a transmissão pela "BBC" da ópera "Jerry Springer", considerada blasfema, pediu à citada agência que exija a retirada dessa publicidade, porque a afirmação feita nela não pode ser provada.

Os organizadores da campanha queriam um slogan mais contundente sobre a inexistência de Deus, mas, no fim, aceitaram diminuir o tom, inserindo o advérbio "provavelmente" para cumprir as regras da agência. EFE jr/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.