Africanos que recrutavam terroristas são condenados na França

Paris, 6 nov (EFE).- Quatro africanos que faziam parte de uma rede terrorista localizada em Montpellier, no sul da França, que se dedicava ao recrutamento e envio de combatentes para o Iraque, foram condenados hoje a penas de dois a seis anos de prisão pelo Tribunal Correcional de Paris.

EFE |

Os juízes consideraram os quatro homens, três marroquinos e um franco-argelino, responsáveis por vários crimes, entre eles o de pertencer a uma associação de malfeitores com fins terroristas.

Hamid Bach, de 38 anos, recebeu a maior pena - seis anos de prisão e expulsão do país por dez anos após sua libertação - depois que em sua residência foram encontrados documentos sobre sua atividade criminosa, assim como material que poderia ser utilizado para a fabricação de explosivos.

Os magistrados impuseram quatro anos de prisão e uma proibição de permanecer em território francês durante cinco anos a Reda Barazzouk, de 26 anos.

Yousef Bouzag, de 23 anos, foi condenado a três anos de prisão e não poderá permanecer na França por outros cinco.

Como ele já cumpriu sua pena (os membros da rede foram detidos entre junho de 2005 e junho de 2006), ele apenas terá que sair do país.

Já o franco-argelino Amine Liassine, de 35 anos, o único que estava em liberdade, foi condenado a dois anos de prisão.

A Promotoria, que tinha solicitado penas de dois a sete anos, considerou que todos tinham como objetivo "servir à causa fundamentalista" e fazer a Guerra Santa. EFE ac/ab/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG