África quer contribuir na elaboração do novo sistema financeiro

Tunísia, 13 nov (EFE).- Líderes africanos fizeram hoje na Tunísia uma chamada perante a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países mais ricos e os principais emergentes) pedindo que seja atendido seu desejo de contribuir à arquitetura do novo sistema financeiro mundial.

EFE |

O desejo consta na declaração final da conferência de ministros da Fazenda e chefes dos bancos centrais sobre os efeitos da crise financeira internacional nas economias dos países africanos, encerrada hoje na Tunísia.

Os ministros pedem à África do Sul, o único país africano convidado à reunião de Washington, que represente o continente levando em conta que participará dentro do grupo de países emergentes.

Os Governos africanos dizem estar "desiludidos" com o fato de que apenas um país do continente vá à Cúpula do G20. "Queremos que nossa voz seja ouvida e nossos interesses sejam levados em conta, porque isso é a única forma de que as soluções que se proponham sejam realmente mundiais", destacou.

Fazendo o balanço da reunião da Tunísia, o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), Donald Kaberuka, disse esperar que o G20 se dedique a restaurar a estabilidade financeira, "desentupa" os mercados de crédito e restaure a confiança no sistema internacional.

"Desde nosso ponto de vista se trata de um necessário primeiro passo, mas o debate internacional deve ser ampliado para englobar a longo prazo as questões centrais que constituem o crescimento e o desenvolvimento", ressaltou o alto executivo.

Por sua parte, o secretário-geral da União Africana (UA), Jean Ping, disse também hoje que a crise mundial vai limitar na África as oportunidades comerciais, o acesso ao financiamento, as transferências de fundos dos imigrantes e os investimentos diretos estrangeiros.

Os ministros africanos adotaram também, na Tunísia, o compromisso de mobilizar de uma maneira mais eficaz os recursos financeiros internos e aprofundar os mercados financeiros africanos, com o propósito, segundo Kaberuka, de constituir uma robusta economia interior e a integração financeira.

A reunião na Tunísia foi organizada pelo UA, o BAD e a comissão econômica das Nações Unidas para a África (CEA). Em representação da União Européia (UE), o secretário de Estado francês para a cooperação, Alain Joyandet, disse que suas conclusões serão comunicada na Cúpula do G20. EFE mo/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG