BRASÍLIA ¿ O Itamaraty informou que a embaixada do Brasil em Pretória, na África do Sul, demonstrou disposição em ajudar a localizar o economista Gabriel Buchman, de 28 anos, desaparecido em uma montanha do Malauí desde a semana passada.


De acordo com a instituição, que foi avisada apenas na terça-feira do desaparecimento do brasileiro, o governo sul-africano poderá disponibilizar mais um helicóptero para intensificar as buscas na região.

Buchman foi visto pela última vez na sexta-feira, quando se preparava para a subida final ao pico Sapitwa, de 3.002 metros de altura. Ele viajava por vários países e tinha a volta ao Brasil prevista para o dia 28.

As operações de busca para tentar localizar Buchman foram intensificadas nesta quarta-feira, com a melhora do tempo na região, segundo Carl Bruesson, diretor do Mount Mulanje Conservation Trust, a associação responsável pela administração da montanha.

O total de pessoas envolvidas nas operações de resgate chega a 60, incluindo três médicos e enfermeiros. "Se encontrarmos Gabriel, ele provavelmente estará muito debilitado fisicamente e precisará primeiro ser estabilizado para poder ser transportado", explicou.

Buchman teria ignorado as recomendações da administração de não fazer a escalada da montanha sozinho e dispensou seu guia na última etapa da subida, entre os 2 mil e os 3 mil metros, na sexta-feira.

Ao ver que o brasileiro não havia retornado ao acampamento no tempo previsto, o guia Lewis Maudzu comunicou seu desaparecimento no sábado a outros turistas, que chegaram no dia seguinte à base da montanha, a 500 metros, e comunicaram o sumiço à administração.

(Com informações da BBC Brasil)

Leia mais sobre brasileiros no exterior

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.