Uma intervenção militar não é necessária no Zimbábue, afirmou em Pretória o vice-ministro sul-africano das Relações Exteriores, Aziz Pahad, no momento em que começava em Mbabane (Suazilândia) uma reunião da comissão de segurança da África Austral.

"Não pensamos que uma intervenção militar seja necessária no Zimbábue", declarou Pahad.

"Isto não seria realista, não seria possível", acrescentou.

A pressão aumentou nos últimos dias sobre o regime do presidente zimbabuano Robert Mugabe, que está decidido a celebrar na próxima sexta-feira o segundo turno da eleição presidencial, apesar do líder opositor Morgan Tsvangirai ter retirado a candidatura, após denunciar uma onda de violência contra seus partidários.

jj-ip/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.