Afegão ligado à Al Qaeda admite plano para atentado em Nova York

Por Edith Honan NOVA YORK (Reuters) - Um imigrante afegão acusado de tramar um atentado a bomba em Nova York declarou-se nesta segunda-feira culpado de três acusações, dizendo ao juiz que pretendia se sacrificar numa operação de martírio em que atacaria o sistema metroviário da cidade norte-americana.

Reuters |

Najibullah Zazi, de 25 anos, também admitiu na Corte Federal do Brooklyn que havia recebido treinamento da Al Qaeda para a produção de explosivos e armas na região paquistanesa do Waziristão, fronteiriça com o Afeganistão.

"O plano era conduzir operação de marítimo em Manhattan", disse Zazi ao tribunal. "Para mim, isso significava que eu me sacrificaria para chamar a atenção sobre aquilo que os militares dos EUA estavam fazendo com os civis no Afeganistão."

As autoridades dizem que ele planejava agir em setembro de 2009.

O acusado se declarou culpado dos crimes de conspiração para usar armas de destruição em massa, conspiração para cometer homicídio em um país estrangeiro e apoio material à Al Qaeda.

As confissões são parte de um acordo entre promotoria e defesa, e sugerem que Zazi está disposto a cooperar com investigadores. Os advogados envolvidos não quiseram comentar.

Zazi pode ser condenado à prisão perpétua pelo complô, apontado pelo secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, como um dos mais graves nos EUA desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

(Reportagem adicional de Basil Katz)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG