Um homem de 24 anos nascido no Afeganistão foi indiciado nesta quinta-feira em Nova York, sob a acusação de planejar uma série de ataques com bombas no país. Najibullah Zazi foi acusado pelo Tribunal do Júri de Nova York de planejar o uso de uma ou mais armas de destruição em massa nos ataques.

Segundo investigadores, teria recebido treinamento "detalhado" sobre explosivos e armas em um campo no Paquistão, em 2008.

Ele também é acusado de conduzir "extensa" pesquisa pela internet sobre fabricação de bombas e de buscar componentes para fabricação de dispositivos explosivos.

"Muitas pistas"
Zazi, que reside legamente nos Estados Unidos desde 1999, foi preso no último sábado juntamente com seu pai, Mohammed Zazi, e um clérigo muçulmano, Ahmad Afzali, ambos acusados de mentir para os investigadores.

Pai e filho foram detidos na cidade onde moravam, Denver, no Estado de Colorado. Já Afzali, de 37 anos, foi preso no bairro do Queens, em Nova York, onde trabalha.

Tanto Mohammed Zazi quando Afzali foram libertados sob fiança.

Os três negam envolvimento com o suposto plano para realizar ataques nos Estados Unidos.

Em um comunicado, o Departamento de Justiça americano afirmou que Zazi tinha "conscientemente e de forma intencional conspirado com outros para usar uma ou mais armas de destruição em massa, especificamente bombas e outros dispositivos explosivos semelhantes, contra pessoas ou propriedades dentro dos Estados Unidos".

O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, afirmou que os investigadores estão examinando "uma grande quantidade de pistas" e vão "continuar com o trabalho sem parar para garantir que todos os envolvidos sejam levados à Justiça".

Holder acrescentou que as autoridades acreditam que qualquer "ameaça iminente" do suposto plano já foi interrompida.

Envolvimento com o Paquistão
Os investigadores disseram que as instruções para a construção de bombas foram encontradas na casa de Zazi em Denver, mas nenhum explosivo foi achado no local.

Documentos da Justiça também alegam que ele tentou se comunicar com outra pessoa em várias ocasiões, pedindo conselhos sobre como corrigir os ingredientes para uma mistura que resultaria na fabricação de uma bomba, com "cada contato em tom mais urgente do que o anterior".

No entanto, em uma entrevista recente por telefone ao jornal Denver Post, Zazi negou as acusações e afirmou que não tem nada a esconder.

O correspondente da BBC em Washington Adam Brookes afirmou que os investigadores vão tentar estabelecer a ligação entre Zazi e extremistas islâmicos no Paquistão.

Se for provado que as acusações são verdadeiras, este terá sido o primeiro plano de atentados formulado dentro dos Estados Unidos com ligação direta com extremistas paquistaneses, de acordo com Brookes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.