Afeganistão quer renegociar a presença estrangeira depois de trágico bombardeio

O governo do Afeganistão pediu nesta segunda-feira para renegociar os acordos que regulamentam a presença de forças internacionais no país, depois da morte de quase 90 civis num bombardeio aéreo realizado pela coalizão liderada pelos Estados Unidos na semana passada.

AFP |

"O conselho de ministros adotou a seguinte resolução e pede aos ministros da Defesa e das Relações Exteriores que iniciem negociações com as forács internacionais", informa o comunicado oficial.

Estas negociações devem incluir três pontos importantes:

- Renegociar os termos da presença da comunidade internacional no Afeganistão, na base de um acordo mútuo.

- Estabelecer os limites e responsabilidades das forças internacionais com base num acordo mútuo e conforme às leis afegãs e internacionais".

- Interromper os ataques aéreos visando alvos civis e revistas e prisões ilegais de cidadãos afegãos.

Mais de 90 civis foram mortos na sexta-feira, dia 22, no oeste do Afeganistão, num bombardeio da coalizão sob comando americano, segundo uma comissão de investigação presidencial, que comenta a falta de coordenação entre as forças americana e afegã.

Os EUA manifestaram no domingo seu pesar pela "perda de vidas inocentes entre os afegão que somos encarregados de proteger", sem no entanto confirmar o número de vítimas.

A tragédia aconteceu perto do vilarejo de Azizabad, no distrito isolado de Shindand, onde os insurgentes são muito presentes, a cerca de 130km de Herat, a grande cidade do oeste do país.

str-sak/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG