Afeganistão: EUA e Grã-Bretanha exigem mais esforço, e França envia tropas

Estados Unidos e Grã-Bretanha exigiram nesta quarta-feira, na Cúpula da Otan, em Bucareste, uma melhor divisão do peso da guerra contra os talibãs no Afeganistão, enquanto a França anunciava o envio de mais homens para a missão da Aliança Atlântica.

AFP |

Em meio ao debate, a França informou que mobilizará mais um batalhão, com 800 homens, no leste afegão, nas palavras do porta-voz da Otan, James Appathurai.

"Posso confirmar que o governo francês ofereceu uma contribuição militar substancial ao Afeganistão", disse.

"Esta proposta foi feita para o leste do país, e os Estados Unidos, com base nisso, ofereceram tropas para o sul", acrescentou o porta-voz, em referência a uma mobilização de soldados da Otan nas duas áreas mais perigosas do Afeganistão.

O reforço do contingente era uma das exigências do Canadá, que ameaçava retirar suas tropas do país.

A Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), liderada pela Otan desde 2003, conta, atualmente, com 47.000 homens de 39 países e deve aumentar seu efetivo para 50.000, graças a reforços prometidos por 11 nações.

O contingente francês, concentrado, sobretudo, em Cabul, tem 1.700 soldados, sem contar as centenas de marinheiros mobilizados em navios de guerra que estão no Oceano Índico.

Em um discurso em Bucareste, o presidente americano, George W. Bush, pediu hoje aos países da Otan que enviem mais tropas ao Afeganistão, lembrando a decisão americana de mobilizar mais 3.200 fuzileiros navais para o front afegão.

"Pedimos a outros países que também mandem mais efetivos. A ameaça terrorista é real, é mortífera, e vencer esse inimigo é a prioridade principal" da Otan, afirmou Bush.

No mesmo sentido, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, garantiu que seu objetivo é conseguir uma divisão "mais eficaz" da carga no Afeganistão.

"O que quero é um processo de divisão da carga mais efetivo no próximo período. Acredito também que possa haver uma melhor divisão da carga entre os países que fornecem equipamento, inclusive quando os mesmos estão sendo utilizados por forças de outros países", disse Brown.

A Otan tenta, no encontro em Bucareste, acabar com as divisões sobre a necessidade de se enviar reforços ao Afeganistão e obter apoio internacional para os próximos anos de uma guerra contra um adversário difícil.

Na noite de hoje, os membros da Otan concordaram em convidar Albânia e Croácia a aderir à Aliança Atlântica, segundo Appathurai.

"Há um consenso sobre o convite a dois dos três países" candidatos a dar início às negociações de adesão, declarou o porta-voz, depois de um jantar dos chefes de Estado e de Governo dos 26 membros da Aliança.

"Também houve unanimidade sobre o fato de que o terceiro país, a ex-república iugoslava da Macedônia, deve iniciar as negociações de adesão, assim que for possível", frisou Appathurai.

loc/yw/LR/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG