Os serviços de inteligência do Afeganistão informaram ter matado pelo menos três insurgentes e prendido outros seis envolvidos no ataque contra o presidente Hamid Karzai durante um desfile militar no domingo. O chefe do serviço secreto do Afeganistão, Amrullah Saleh, afirmou que foram lançadas três operações simultâneas contra estes insurgentes.

"O homem que prendemos nos informou que seus companheiros estavam no bairro de Guzargah, em Cabul, mas não falou exatamente onde."

"Usando a tecnologia que temos e as descrições conseguimos rastrear estas pessoas até uma casa e começamos nossa operação contra uma residência à uma hora da manhã", afirmou.

Casa cercada

Segundo o correspondente da BBC em Cabul Alastair Leithead, as forças de segurança e a polícia cercaram uma casa na área central da capital afegã logo depois da meia-noite, ordenando que seus ocupantes se rendessem.

Saleh disse que houve um confronto, no qual três policiais foram mortos e dois ficaram feridos. Os combates, que duraram toda a noite, viram o uso de granadas-foguete e metralhadoras.

Horas depois, o cerco foi encerrado e os corpos de dois homens, uma mulher e uma criança foram retirados da casa, que ocultava uma série de túneis e mecanismos subterrâneos de defesa.

Um porta-voz do Talebã confirmou que dois de seus homens, a esposa de um deles e pelo menos uma criança foram mortos. O porta-voz também confirmou que estes homens estavam envolvidos no ataque de domingo.

Em outro lugar de Cabul seis pessoas foram presas, segundo a diretoria de segurança afegã. Uma terceira operação ainda está ocorrendo.

Críticas

De acordo com Alastair Leithead, na terça-feira ministros e forças de segurança afegãs foram criticados pelos parlamentares pela falha de segurança que resultou no ataque contra o presidente Hamid Karzai. O ataque foi visto como uma tentativa de assassinar o presidente.

O governo foi derrotado em um voto de confiança realizado entre os parlamentares, mas os ministros continuaram em seus cargos.

A pressão sobre o gabinete e forças de segurança está aumentando, pois o governo assumirá em agosto a responsabilidade pela segurança em Cabul, no lutar da Otan.

Ataques suicidas ocorrem em Cabul, mas os tiroteios são mais raros. E, segundo o correspondente da BBC, está claro que o Talebã ainda é capaz de realizar ataques graves no coração da capital do país.

Saiba mais sobre: Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.