Um total de 2.118 civis morreram em atos de violência no Afeganistão em 2008, o que representa uma alta de 40% na comparação com 2007, anunciou nesta terça-feira a ONU em um relatório que mostra que as forças pró-governo são responsáveis por 39% das mortes.

"A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) registrou em 2008 um total de 2.118 civis mortos. A alta na quantidade de vítimas, de quase 40% em relação aos 1.523 civis mortos registrados em 2007, é motivo de grande preocupação para a ONU", afirma o documento.

O relatório mostra que 2008 foi o pior ano para os civis desde a expulsão do poder em Cabul dos talibãs, no fim de 2001, por uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

"Entre as 2.118 vítimas registradas em 2008, 1.160 (55%) ao que parece foram mortas por elementos antigobernamentais e 828 (39%) pelas forças pró-governo. A responsabilidade da morte das 130 restantes (6%) não pôde ser estabelecida", acrescenta a UNAMA.

A violência dos insurgentes afegãos, incluindo os talibãs, ganhou força nos últimos dois anos, apesar da presença no país asiático de 70.000 soldados estrangeiros.

thm/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.