Aeroportos reabrem após nevascas nos EUA

Prejuízo pode chegar a US$ 100 milhões às companhias aéreas e milhares de passageiros ainda aguardam normalização

BBC Brasil |

 selo

Apesar da retomada dos serviços, autoridades alertam que pode levar dias para que seja possível resolver a situação das dezenas de milhares de passageiros que ficaram presos em aeroportos, sem poder viajar nos últimos dias.

Várias rotas que chegam ou partem do Brasil estão entre as que foram afetadas, já que as companhias aéreas TAM, Continental, Delta e American Airlines tiveram de cancelar ou redirecionar os voos entre São Paulo e Nova York no domingo e na segunda-feira.

Analistas acreditam que a tempestade de neve e suas consequências podem causar um prejuízo de 100 milhões de dólares às companhias aéreas.

Caos

Os principais aeroportos da região de Nova York - JFK, LAGuardia e Newark Liberty - além dos aeroportos internacionais de Boston e Filadélfia reabriram na noite de segunda-feira.

Eles haviam ficado fechados o dia inteiro, fazendo com que os passageiros tivessem que acampar no chão dos saguões. Muitos voos continuam decolando com atraso nesta terça-feira por causa dos fortes ventos e do acúmulo de neve.

Voos também foram cancelados em outros aeroportos do país, como os de Washington, Baltimore e Chicago.

Os Estados de Massachusetts, Maine, Maryland, Nova Jersey, Carolina do Norte e Virgínia declararam estado de emergência.

Serviços suspensos

As nevascas também provocaram caos no transporte ferroviário e nas estradas dos EUA.
Por causa da neve, a operadora de ferrovias Amtrak chegou a suspender os serviços entre Nova York e Boston, Nova York e Maine e as operações no Estado da Virgínia. Agora, a companhia anunciou uma retomada limitada dos serviços.

Segundo a National Public Radio, autoridades tiveram de resgatar centenas de motoristas que ficaram presos por causa da neve acumulada nas estradas, incluindo ônibus de turistas.

Muitos motoristas abandonaram seus carros em diversas estradas ao redor de Nova York.
No Maine, a tempestade foi apontada como a causa de um acidente de carro em que um homem de 59 anos morreu. Policiais levavam água e comida a passageiros diabéticos presos nas estradas.

Um motorista de táxi da Filadélfia, Farid Senoussaoui, disse que é preciso cuidado redobrado para dirigir nas vias escorregadias: “isso aqui está parecendo um videogame”.

Natal branco

O serviço meteorológico americano diz que a nevasca é resultado de um sistema de baixa pressão, que se formou na costa da Carolina do Norte.

No Sul, Geórgia e Carolina do Sul tiveram neve durante o Natal pela primeira vez em mais de cem anos, enquanto a capital Washington DC aparentemente escapou da nevasca mais forte.

O mau tempo fez com que a eletricidade fosse cortada em milhares de casas em Rhode Island e Massachussetts.

Em Nova York, 2,4 mil funcionários trabalhavam em turnos de 12 horas para limpar a neve nas vias da cidade.

O prefeito Michael Bloomberg aconselhou os moradores a ficar em casa: “Compreendo que muitas famílias precisem voltar após o fim de semana, mas, por favor, não peguem as estradas a não ser que seja absolutamente necessário.”

    Leia tudo sobre: aeroportosEUAneve

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG