Aeroporto de Bangcoc retoma vôos depois de fim de ocupação

Um avião da Thai Airways vindo da ilha de Phuket aterrissou no principal aeroporto de Bangcoc nesta quarta-feira mais de uma semana depois de manifestantes terem invadido o local, provocando a suspensão do tráfego aéreo na capital. O vôo é o primeiro a alcançar Bangcoc após o fim do cerco que durou quase oito dias.

BBC Brasil |

As chegadas e saídas de aviões estavam suspensas desde que os insurgentes da Aliança Popular pela Democracia (PAD, na sigla em inglês) ocuparam os dois aeroportos da capital em protesto contra o governo.

A partir de quinta-feira as rotas internacionais deverão ser retomadas e a expectativa é de que os serviços aéreos na capital estejam normalizados dentro da próxima semana.

Os correligionários da PAD começaram a desocupar os aeroportos na terça-feira, depois que tiveram as suas reivindicações atendidas.

A Corte Constitucional tailandesa reconheceu o desejo dos manifestantes e dissolveu o partido governista, Partido do Poder Popular (PPP), por cinco anos, destituindo o primeiro-ministro Somchai Wongsawat.


Passageiros aguardam partidas dos vôos em aeroporto de Bangcoc / Reuters

Brasileiros

O total inicial de brasileiros retidos em Bangcoc era de 120, mas desde o começo da semana, vários já deixaram o país.

Na manhã desta quarta-feira um grupo de mais de 50 turistas conseguiu pegar um vôo para Hong Kong a partir da base aérea de U-tappao.

O grupo segue de Hong Kong para Johanesburgo, na África do Sul, e de lá para São Paulo. De acordo com a embaixada em Bangcoc, cerca de 35 brasileiros ainda estão no país, mas devem sair da Tailândia até o final da semana.

Em meio ao longo protesto, cerca de cem mil turistas ficaram temporariamente presos na Tailândia sem perspectiva de retornar a seus respectivos países.

Estima-se que a indústria do turismo tenha registrado prejuízos de até US$ 85 milhões por dia.

Crise

A ocupação dos aeroportos da capital se estendeu por mais de uma semana e só chegou ao fim na terça-feira, depois que a Justiça do país ordenou a dissolução dos três partidos que formavam a coalizão do governo.


Oposição comemora a queda do premiê Somchai / AP

A Aliança Popular pela Democracia vinha acusando o governo de Somchai Wongsawat de corrupção, de ser hostil à monarquia e de agir a mando do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra.

O atual primeiro-ministro Somchai não estava na capital quando foi destituído. Ele aguardava pelo final dos protestos na cidade de Chiang Mai, no norte do país.Somchai disse que, apesar da dissolução de seu partido, seus aliados deverão formar um governo provisório com um novo líder em breve.

As tensões políticas na Tailândia podem continuar apesar do fim da ocupação dos aeroportos.

Um dos líderes dos manifestantes, Sondhi Limthongkul, ameaçou, na noite terça-feira, retomar as manifestações se não houver mudanças reais no cenário político no país.

"O PAD vai voltar se algum outro governo fantoche (de Thaksin) for formado ou se qualquer um tentar mudar a lei ou a Constituição para livrar algum político ou para subjugar a autoridade da monarquia", afirmou.

Leia mais sobre Tailândia

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG