Advogados de Olmert tentam fazer desacreditar testemunha de processo por corrupção

Os advogados de Ehud Olmert tentaram nesta quinta-feira fazer desacreditar o empresário americano que afirma ter dado dinheiro ao primeiro-ministro israelense, abalado por um escândalo de corrupção que poderia provocar sua renúncia.

AFP |

Entretanto, os advogados não conseguiram desestabilizar o empresário, que manteve suas acusações contra o chefe de governo, informaram os comentaristas da televisão israelense.

As audiências devem recomeçar nesta sexta-feira.

Em maio passado, em depoimento ao tribunal do distrito de Jerusalém, o empresário Morris Talansky afirmou ter dado a Olmert mais de 100.000 dólares em dinheiro, durante um período de 15 anos.

Nesta quinta-feira, os advogados do premier questionaram a credibilidade do empresário americano citando as respostas contraditórias que ele teria dado durante seu interrogatório pela polícia e em seu depoimento no tribunal.

Talansky, um judeu nova-iorquino de 75 anos, nunca perdeu a calma, mas admitiu esquecimentos em seu depoimento à polícia.

Ele reconheceu enganos em alguns detalhes, mas afirmou não ter "inventado histórias". "Nunca dei qualquer resposta falsa", garantiu.

Ele também se referiu a sua "amizade" com Olmert. "Fui o amigo dele durante anos, um amigo muito próximo", declarou.

"Hoje vamos começar a revelar as falhas existentes na versão da polícia e do Ministério Público, para que a população entenda que algumas partes estão tentando levar um primeiro-ministro à renúncia com informações parciais e não verificadas e um testemunho contraditório", disse à imprensa Amir Dan, conselheiro de Olmert.

bur/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG