Advogados de famílias palestinas pedem prisão de ministro da Defesa de Israel

Londres, 29 set (EFE).- Os advogados que representam várias famílias palestinas solicitaram a um tribunal britânico uma ordem de detenção do ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, por supostos crimes de guerra cometidos em Gaza há oito meses.

EFE |

Um dos advogados, Tayab Ali, disse à imprensa britânica que o pedido foi apresentado hoje ao Tribunal de Westminster e está à espera de que o pedido seja atendido.

No entanto, um porta-voz do tribunal se limitou a dizer à Agência Efe que a imprensa terá que esperar até as 14h30 locais (11h30, no horário de Brasília) para saber mais informações a respeito.

Barak se encontra no Reino Unido e deve assistir hoje ao congresso anual do Partido Trabalhista realizado em Brighton (sul da Inglaterra), onde espera reunir-se com o primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown.

Ali assinalou que a o pedido de detenção está relacionado com a ofensiva israelense na Faixa de Gaza, em janeiro.

Segundo o advogado, a ordem de detenção "tem que ser emitida hoje, de outra maneira, corremos o risco de que Ehud Barak abandone o país".

Os advogados pedem a detenção em virtude da Lei de Justiça Criminal de 1988, que permite aos tribunais da Inglaterra e do País de Gales a terem jurisdição universal em casos de crimes de guerra.

Além disso, os letrados alegam que a ordem do Tribunal Penal Internacional (TPI) emitida em maio do ano passado para a detenção do presidente do Sudão, Omar al-Bashir, - acusado de crimes de guerra na região de Darfur -, abre um precedente.

A secretária-geral da Campanha por uma Palestina Solidária, Betty Hunter, qualificou de "desgraça" a presença de Ehud Barak em Brighton.

"Em janeiro, as pessoas do Reino Unido protestaram contra o massacre em Gaza, que Barak ordenou às Forças Armadas. Como parte da Convenção de Genebra (sobre direito internacional humanitário), o Governo britânico deveria prender Barak por crimes de guerra, e não recebê-lo com um jantar", afirmou Betty. EFE vg/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG