Advogado pede absolvição de Fujimori por falta de provas

Lima, 4 mar (EFE).- O advogado do ex-presidente peruano Alberto Fujimori, César Nakasaki, pediu hoje a absolvição de seu cliente da acusação de 25 assassinatos por falta de provas, no julgamento por supostos abusos aos direitos humanos.

EFE |

Ao término da audiência, Nakasaki disse à imprensa que "o argumento central (de sua alegação) é a falta de provas da acusação".

Fujimori é julgado por um massacre cometido na região de Barrios Altos em novembro de 1991, no qual morreram 15 pessoas, e o assassinato de nove estudantes e um professor da universidade La Cantuta em julho de 1992.

Além disso, é acusado dos sequestros do jornalista Gustavo Gorriti, após o autogolpe de 5 de abril de 1992, e do empresário Samuel Dyer nesse mesmo ano.

Nakasaki afirmou que a Constituição Política assinala as funções militares do presidente como Chefe Supremo das Forças Armadas, seu papel no Sistema de Defesa Nacional e seu direito a ditar uma política contra a subversão.

Em tal sentido, destacou que o autogolpe "não significou que Fujimori perdesse sua condição de presidente constitucional do Peru", como alega a promotoria.

O advogado reiterou que não existe qualquer prova de que o ex-governante tenha ordenado que seu então assessor de inteligência, Vladimiro Montesinos, detivesse o empresário Dyer ou Gorriti nos porões do Serviço de Inteligência do Exército (SIE).

Por isso, afirmou que exigirá a absolvição de seu cliente invocando pela insuficiência de provas. EFE mmr/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG