Advogado diz que Menem não irá a julgamento sobre tráfico de armas

Buenos Aires, 15 out (EFE).- O advogado de Carlos Menem disse hoje à Agência Efe que o ex-presidente, por problemas de saúde, não se apresentará amanhã ao início do julgamento oral e público por tráfico de armas a Equador e Croácia durante seu Governo.

EFE |

"Os médicos de Menem me disseram que o ex-presidente foi medicado e está em repouso absoluto. Tem um quadro de anemia e estresse depois das duas vezes em que deu entrada no hospital recentemente.

Não está em condições de ir ao julgamento", disse Omar Daer.

Com esses argumentos, o advogado do ex-líder (1989-1999) e atual senador apresentou hoje um recurso judicial para que o Tribunal Federal no Penal Econômico o exima de estar presente na primeira audiência do julgamento por tráfico de armas entre 1991 e 1995.

O tribunal ainda não se pronunciou sobre a apresentação, embora fontes judiciais tenham dito que amanhã começará de todos os modos o primeiro processo oral e público realizado no país contra um ex-governante eleito democraticamente.

Outras fontes disseram que o pedido seria rejeitado pelo Tribunal Oral no Penal Econômico, que levará adiante as audiências.

No entanto, Daer afirmou que, embora se rejeite o recurso, apresentado no último momento, Menem não irá à audiência do julgamento em que é acusado, junto a outras 17 pessoas, no que significou um dos maiores escândalos de seu Governo.

"Não é um capricho nem uma rebeldia. Com isso, se atentaria contra a saúde de uma pessoa e o próprio código penal o contempla", frisou. EFE ms/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG