Advogado denuncia troca de textos em projeto de Constituição do Equador

Quito, 4 ago (EFE).- Uma suposta troca dos constituintes no texto inicial do projeto de Carta Magna aprovado pela Assembléia Constituinte do Equador foi apontada hoje pelo advogado Joffre Campaña, que apresentou uma denúncia a respeito para a Promotoria.

EFE |

"Trata-se de uma denúncia formal pelo crime de alteração de textos", disse o jurista, após revelar que a denúncia foi apresentada na quinta-feira.

Ele explicou que se a mudança de texto for comprovada, poderia "deixar eventualmente sem efeito a possibilidade de convocação de plebiscito sobre um projeto viciado".

Campaña afirmou que fundamentou sua ação, entre outras, em comentários de deputados da Assembléia Constituinte, agora em recesso, e da fundação Konrad Adenauer, que seguiu o processo, e que falaram de mudanças no texto original.

A polêmica em torno do projeto de Constituição elaborado nos últimos oito meses pela Assembléia Constituinte cresceu nos últimos dias já que, segundo várias versões, não se sabe qual é o texto final aprovado pelos constituintes no final do mês passado.

Durante a votação do documento, vários constituintes da oposição disseram desconhecer seu conteúdo, pois após apresentar o que supostamente era o texto final, o quíchua foi incluído como idioma oficial em relação de interculturalidade.

Embora Fernando Cordero, presidente da Assembléia, afirme que essa foi a única mudança efetuada e aprovada no plenário, a oposição diz que há alterações nos textos, o que é negado pela maioria do corpo colegiado.

O Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) prevê a realização de um plebiscito em 28 de setembro e, embora ainda não tenha iniciado a campanha eleitoral, o apoio ao "sim" e ao "não" já é visível em vários locais. EFE sm/wr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG