Advogado de opositor a Chávez diz acreditar em asilo

Lima, 21 abr (EFE).- O advogado peruano Javier Valle Riestra afirmou hoje que o Governo de seu país estará à altura de sua tradição e vai conceder asilo ao líder da oposição venezuelana Manuel Rosales.

EFE |

Em entrevista coletiva, Valle Riesta, que apresentou hoje o pedido de asilo às autoridades peruanas, descartou que tenha intervindo no caso valendo-se da sua condição de parlamentar do governista Partido Aprista Peruano (PAP).

O defensor de Morales acrescentou que foi chamado para o caso porque é autor de trabalhos sobre extradição e direito de asilo, e afirmou que aceitou o pedido porque está claro que o prefeito da cidade venezuelana de Maracaibo é um perseguido político.

Valle Riesta lembrou ainda que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, várias vezes declarou que prenderia o líder opositor, que o Peru tem uma longa tradição na concessão de asilo e que muitos dos líderes do PAP já recorreram a esse recurso, incluindo o fundador da legenda, Víctor Raúl Haja de la Torre, e o atual presidente peruano, Alan García.

"A doutrina e a jurisprudência nacional e internacional aprovam este processo", disse. O advogado também declarou que Rosales será convocado dentro de uma semana para que deponha às autoridades da Chancelaria peruana.

"Acho que o Peru terminará asilando-o", afirmou, destacando que não existe a intenção de gerar "um conflito com Hugo Chávez".

Valle Riestra ressaltou que, desde a apresentação da solicitação, Rosales está sob proteção das autoridades peruanas.

O vice-presidente do partido venezuelano Um Novo Tempo (UNT), Timoteo Zambrano, declarou na entrevista que nas próximas horas Rosales fará um pronunciamento público.

"Esperamos que este processo termine de maneira favorável a Manuel Rosales, que é um perseguido político do regime de Hugo Chávez", afirmou.

Zambrano disse que a suposta perseguição obrigou o político a buscar "proteção dentro da Venezuela e depois a ir para um país amigo, onde a legislação garante seus direitos políticos, humanos e sua integridade física".

"Achamos que isso vai ocorrer, pela legislação tão avançada em matéria de asilo político que o Peru tem", enfatizou.

O vice do UNT denunciou que, "hoje em dia", na Venezuela, há uma perseguição contra "todas as pessoas e instituições" que, "de alguma maneira, pensam diferente".

"Este é o dia a dia de uma democracia ferida na Venezuela", acrescentou.

Zambrano também negou que Rosales tenha fugido da Venezuela, já que, disse, "não havia uma ordem de prisão" contra ele.

"Rosales várias vezes desafiou Chávez a provar documentalmente as mentiras que o Governo e, particularmente, o presidente da República utilizaram para destruir politicamente e linchar aquele que até agora vinha derrotando-o", concluiu.

Manuel Rosales está sendo julgado na Venezuela por corrupção. Ele está em Lima em local desconhecido, à espera de seu pedido seja atendido. EFE fcg/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG