Advogado de Berlusconi quer todas as fotos de Zappadu confiscadas

Roma, 13 jun (EFE).- O advogado Niccolò Ghedini, de Silvio Berlusconi, pediu à Justiça italiana a apreensão como medida preventiva das cinco mil fotografias relacionadas com os encontros privados do primeiro-ministro da Itália na ilha de Sardenha que o fotógrafo Antonello Zappadu assegura ter.

EFE |

"É um fato gravíssimo. Pedimos que sejam confiscadas as cinco mil fotos que Zappadu diz ter tirado", afirmou Ghedini ao diário italiano "La Repubblica".

"Para conseguir essas fotos ele cometeu vários crimes, violando o direito à privacidade de Berlusconi e seus convidados", acrescentou.

Zappadu disse ontem ao jornal "La Repubblica" que tinha registrado aproximadamente cinco mil fotos entre 2006 e 2009 do premiê italiano junto com várias jovens em sua mansão de Villa Certosa.

No final de maio, a Justiça confiscou de forma preventiva parte desse arquivo fotográfico, por causa de uma denúncia apresentada por Ghedini, por suposta invasão de privacidade e tentativa de fraude.

"Não é que (Berlusconi) tenha algo a esconder. As fotos não mostram nada relevante. Mas em um Estado de direito é intolerável que qualquer cidadão, não apenas o primeiro-ministro, seja espionado e fotografado no interior de sua própria casa", comentou o advogado.

Ghedini assegurou que por trás das fotografias, e sua publicação em jornais do exterior, há uma "violenta campanha política" contra o primeiro-ministro.

"Não é coincidência que o advogado que defende Zappadu (em outro processo por outras fotografias) seja um eurodeputado do partido opositor Itália dos Valores (IDV), de Antonio di Pietro", apontou.

EFE mcs/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG