Tamanho do texto

O advogado da família materna de S.G., Sérgio Tostes, disse nesta sexta-feira que vai entrar com uma ação contra autoridades públicas brasileiras pelo que chamou de ¿irregularidades¿ no processo de entrega do garoto ao pai biológico, David Goldman. Em entrevista coletiva, ao lado dos avós de S., Tostes voltou a criticar o governo brasileiro por permitir a http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/12/24/sg+deve+ser+entregue+ao+consulado+americano+ate+9h+de+hoje+9255132.html target=_blankviagem do garoto e de David ¿sem uma regulação de visitas¿ da família materna nos Estados Unidos e citou ¿pressões indevidas¿ que ministros teriam feito sobre a Justiça. O advogado prometeu divulgar documentos nos próximos dias comprovando tais pressões. Agora que o segredo de Justiça acabou, vou mostrar tudo, disse Tostes.

Sérgio Tostes também cobrou do presidente Luiz Inácio Lula da Silva um tratamento semelhante ao que o governo brasileiro deu a Goldman. Espero que o governo trate uma família brasileira nata da mesma forma que tratou um americano, afirmou. Segundo o advogado, caso não consiga apoio de Brasília e da Embaixada do Brasil em Washington para conseguir visitar S. nos Estados Unidos, a família vai contratar um advogado em solo americano.

Tostes e a avó de S., Silvana Bianchi, voltaram a negar a responsabilidade da família materna pela exposição do garoto durante a entrega no Consulado dos Estados Unidos no Rio. O governo americano criticou a superexposição do garoto pela família brasileira. Houve tumulto quando S. chegou a pé ao consulado, abraçado ao padrasto, João Lins e Silva. O advogado voltou a dizer que cumpriu a decisão da Justiça brasileira. A decisão era bem clara: devíamos entregar a criança na porta do consulado. Qualquer coisa diferente poderia ser interpretada como um desvio da decisão, afirmou Tostes. Em nenhum momento ninguém no consulado nos ofereceu proteção ou a garagem para entrarmos com privacidade.

Na quinta-feira, a porta-voz da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, Orna Blum, disse que foi oferecido acesso à garagem. Ela está mentindo deslavadamente, acusou Tostes nesta sexta-feira, que criticou a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, determinando a entrega de S. ao pai biológico. A decisão representou um momento triste na história deste País, principalmente porque faltou humanidade, afirmou. A família queria que a Justiça ouvisse a opinião de S. sobre a permanência no Brasil ou a ida para os Estados Unidos.

O advogado da família materna de S. mostrou cópias das decisões judiciais dos últimos dias para mostrar que estava negociando "com uma arma de revólver apontado para mim". Também criticou a posição do governo americano. O agradecimento da secretária de Estado, Hillary Clinton, é descabido, afirmou Tostes. Foi uma ofensa ao Brasil. Agradecer é como se tivéssemos feito um favor. Não fizemos um favor, mas cumprimos uma decisão judicial.

Leia também:

Leia mais sobre: S.G.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.