Advogada da Yukos, grávida de 7 meses, pede indulto a Medvedev

Moscou, 21 out (EFE) - A advogada da desapropriada petrolífera Yukos, Svetlana Bakhmina, que está presa e grávida de quase sete meses, pediu o indulto ao presidente russo, Dmitri Medvedev, informou hoje à imprensa seu advogado. Dar à luz na prisão é um grave estresse para a mãe e para a criança, o que repercutirá sem falta em sua saúde (...

EFE |

) Tudo o que quero é voltar para casa para estar com meus filhos", diz o pedido, em alusão aos outros dois filhos de Bakhmina, de 7 e de 11 anos.

Bakhmina, condenada em 2006 a 6,5 anos por suposta apropriação indevida, sempre rejeitou a acusação, mas desta vez admitiu sua culpa para ter direito ao indulto e sair da prisão, em cujo centro médico se encontra agora internada.

Ela ressalta que jamais foi grande proprietária nem dirigente da Yukos, pois sequer tinha direito de assinatura, e que não obteve nenhum benefício pessoal dos crimes financeiros dos quais é acusada.

Um funcionário da Presidência russa assegurou há dias que autoridades do país decidiram conceder o indulto à mulher, segundo o jornal "Grani.ru".

"Há boas possibilidades de que o presidente tome uma decisão positiva", confirmou hoje mesmo à agência "Interfax" em condições de anonimato um alto funcionário russo. EFE si/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG