Johanesburgo, 28 nov (EFE).- A governamental União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF) e o opositor Movimento para a Mudança Democrática (MDC) decidiram hoje os termos para uma emenda constitucional que permitirá formar um Governo de unidade no país.

O acordo foi alcançado após dois dias de conversas entre negociadores das duas facções, reunidos a portas fechadas em Pretória, com a mediação do ex-presidente sul-africano Thabo Mbeki.

A emenda constitucional permitirá a restauração do cargo de primeiro-ministro, que corresponderá ao líder do MDC, Morgan Tsvangirai, enquanto o presidente zimbabuano, Robert Mugabe, continuará à frente do Governo, segundo um acordo que as duas partes assinaram em 15 de setembro.

Restaurar o cargo de primeiro-ministro é o único obstáculo que impede a formação do Governo de unidade, segundo a Zanu-PF e a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), o bloco regional que designou Mbeki como mediador entre as partes zimbabuanas.

No entanto, o porta-voz do MDC, Nelson Chamisa, disse à televisão sul-africana que esse não é o único problema e que os dois partidos mantêm diferenças de fundo sobre uma distribuição equitativa dos ministérios no futuro Governo de unidade.

A Zanu-PF, com o apoio da SADC, pretende ficar com os ministérios principais, incluindo a pasta do Interior (que controla a Polícia) e da Justiça, o que deixará o MDC como parceiro menor do Governo, apesar de sua maioria parlamentar.

Chamisa afirmou que, ao contrário a informações sem confirmação oficial e divulgadas pela imprensa local sul-africana, o MDC continua comprometido a seguir negociando com a Zanu-PF até conseguir a formação do Governo de unidade.

"O MDC será o último a se retirar destas negociações. Achamos que só através de conversas que a crise política, econômica e social do Zimbábue poderá ser resolvida", disse Chamisa, que ressaltou que a liderança do partido opositor se reunirá na próxima semana para discutir a maneira de avançar na concretização desse Governo. EFE jm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.