Adversários chegam a acordo sobre ministérios na Irlanda do Norte

Dublin, 18 nov (EFE).- O majoritário Partido Democrático Unionista (DUP) e o nacionalista Sinn Fein chegaram hoje um acordo sobre a transferência dos poderes de Justiça e Interior ao Governo norte-irlandês de poder compartilhado entre católicos e protestantes.

EFE |

O acordo põe fim a meses de disputas entre esses dois partidos, o que provocou que o Executivo autônomo não se reunisse desde junho e mantivesse paralisado o processo de paz na região.

O primeiro-ministro, o unionista Peter Robinson, e seu adjunto no Governo, o nacionalista Martin McGuinness, confirmaram que o Executivo retomará suas sessões na quinta-feira, mas precisaram que ainda não há um calendário para completar o processo da transferência de poderes de Londres a Belfast.

Entre os pontos estipulados, destaca-se a nomeação de um Procurador-geral para a Irlanda do Norte, assim como a criação de um novo Ministério da Justiça, cuja pasta deve ser ocupada por alguém que não pertença ao DUP nem ao Sinn Fein.

"Achamos que estes acordos têm a capacidade de ganhar a confiança da comunidade. Esperamos que o primeiro-ministro (britânico, Gordon Brown), continue disposto a ajudar com as despesas econômicas derivados do processo de devolução", disse Robinson.

O acordo de Saint Andrews, firmando em 2006, na Escócia, 2006 e assinado por todos os partidos, definiu as bases do atual Governo de poder compartilhado e fixou a devolução dos poderes de Justiça Interior para maio de 2008.

No entanto, o DUP negou-se até agora a se comprometer com o processo de transferência porque desconfiava do compromisso do Sinn Fein, braço político do já inativo Exército Republicano Irlandês (IRA), com a via democrática.

Segundo os analistas, a devolução dessas áreas levará vários meses, embora o primeiro-ministro norte-irlandês afirme que o DUP e seus parceiros no Governo "querem evitar atrasos desnecessários".

McGuinness explicou que o Executivo realizará reuniões semanais para trabalhar neste assunto e para solucionar outros temas que se acumularam durante estes cinco meses de paralisação.

O dirigente republicano celebrou a restauração do clima de entendimento que marcara o primeiro ano do Governo de poder compartilhado com o antecessor de Robinson no cargo, o reverendo Ian Paisley.

"A posição do Sinn Fein durante as negociações (com o DUP) foi constante", lembrou McGuinness. "O Executivo e outras instituições políticas devem operar sobre bases de igualdade e cooperação", acrescentou.

O vice-primeiro-ministro da Irlanda do Norte disse confiar em que o acordo conseguido por ambos os partidos permita ao Executivo autônomo "funcionar sem interrupção".

O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, considerou que o pacto "abre um novo capítulo na história" da região.

"Pela primeira vez, vemos avanços na disputa sobre a devolução dos poderes de Justiça e Interior. Este era o último obstáculo de um processo que trará a paz e a democracia à Irlanda do Norte", disse Brown. EFE ja/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG