Adolescentes que comem peixe são mais inteligentes, segundo estudo sueco

Comer peixe favorece a inteligência, conclui um estudo sueco publicado nesta segunda-feira, pelo qual os adolescentes que o consomem têm coeficiente intelectual (QI) mais alto.

AFP |

"Descobrimos uma relação clara entre o comer peixe com frequência e os índices elevados" de QI em adolescentes, comentou em comunicado Kjell Torén, que realizou o estudo para o hospital universitário Sahlgrenska de Goteborg (oeste).

A pesquisa, publicada na edição de março da revista Acta Paediatrica, analisou o QI e as capacidades de expressão e orientação espacial mostradas por 3.972 suecos de 15 anos em 2000 comparadas três años depois no exame médico de convocação para o serviço militar.

Os rapazes de 15 anos que comiam peixe pelo menos uma vez por semana tinham pontuação 7% mais elevada em seus testes de QI realizados três anos mais tarde.

Mas os que comiam peixe mais de uma vez por semana registravam pontuação 12% mais elevada que a média.

"Há uma correlação clara entre o consumo regular de peixe aos 15 anos e maiores possibilidades intelectuais aos 18", concluiu Maria Aaberg, coautora do estudo, citada no comunicado.

Em termos de capacidades de expressão, os jovens de 18 anos que comiam peixe uma vez por semana aos 15 anos apresentaram resultados 4% melhores que a média; esse percentual subiu para 9% para os que consumiam peixe mais de uma vez por semana.

Em relação à percepção espacial, as cifras foram de 7 e 11%, respectivamente.

O peixe é uma fonte de ômega-3, ou seja, de ácidos graxos que já tiveram demonstrada sua importância para o desenvolvimento e o funcionamento do cérebro.

Alguns estudos também mostraram que comer peixe durante a gravidez favorece o desenvolvimento intelectual do feto, assim como que o consumo de peixe retarda a decadência dos neurônios nos anciãos(ãs).

nl/map/sd

    Leia tudo sobre: inteligência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG