Adolescentes de seita mórmon estavam grávidas ou tinham filhos

Mais da metade das adolescentes retiradas de uma seita mórmon poligâmica do Texas, no início de abril, já tinham filho ou estavam grávidas, informaram funcionários do serviço de proteção da infância nesta segunda-feira.

AFP |

"Acreditamos que 31" adolescentes "já foram mãe ou estão grávidas", disse o porta-voz do departamento da Família e Serviços de Proteção do Texas, Patrick Crimmins, à AFP.

No total, 463 menores que faziam parte da seita passaram à custódia do Estado no início de abril, após a constatação de abusos físicos e emocionais.

Os funcionários destacaram que as menores eram forçadas a fazer sexo com seus "maridos espirituais" adultos assim que chegavam à adolescência.

Meninas de 13 anos eram "espiritualmente casadas" com homens adultos, que já tinham várias esposas, e forçadas a manter relações "com o propósito de gerar filhos", segundo uma investigadora do serviço social texano.

Quando castigadas, as crianças eram colocadas em armários sem comida e até apanhavam na fazenda YFZ ("Yearn For Zion"), na região de Eldorado (Texas), do líder da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (corrente fundamentalista mórmon).



    Leia tudo sobre: seita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG